Blog de Criação de Roteiros
Publicado em por Courtney Meznarich

Como criar personagens inesquecíveis

Eles são identificáveis. Fazem você se sentir menos sozinho em suas experiências. Você os odeia, os ama e adora odiá-los. Seus personagens favoritos não se tornaram assim por acaso, e a boa notícia é que existem fórmulas testadas e comprovadas para ajudá-lo a desenvolver personagens igualmente viciantes — talvez, até mais!

Reserve seu lugar na fila, roteirista! Estamos mais próximos de lançar o Software de Roteiro SoCreate para um número limitado de testadores beta, de novatos a profissionais. sem sair da página.

Então, sem mais delongas, vamos conhecer alguns personagens notáveis que interpretam profissionais da indústria do entretenimento na vida real! Eles gentilmente emprestaram suas próprias dicas de desenvolvimento de personagem para que você possa aprender sobre seus quatro segredos de desenvolvimento de personagem. Saiba mais sobre esses profissionais em suas biografias na parte inferior deste artigo.

Como desenvolver personagens inesquecíveis

1.  Escreva com base no quê – e em quem – você conhece

"Acho que as pessoas escrevem melhor a partir do que sabem", iniciou Monica Piper. "Quando eu estava escrevendo minha peça, pensei em minha avó. Você sabe como ela dirigia? Olhando para a expressão no rosto do passageiro. Tento basear os personagens com um elemento de verdade e familiaridade de alguém que eu realmente conheço — um amigo que tinha peculiaridades engraçadas, um parente, um vizinho. Olhe para as pessoas ao seu redor. Às vezes, apenas fique observando as pessoas com um caderno à mão."

A melhor maneira de obter um entendimento profundo dos objetivos, motivações, peculiaridades e pontos fortes do seu personagem é baseando-os em pessoas ou elementos de pessoas que você conhece. É aqui que a frase "escreva o que você sabe" costuma ser usada nos círculos de escritores. É um bom conselho, porque você percebe as situações e as pessoas em sua vida de uma maneira única. Essa perspectiva irá ressoar com as pessoas que se sentem de forma semelhante ou radicalmente oposta. É isso que gera emoção e mantém o público conectado à sua história.

2. Faça a si mesmo e aos seus personagens muitas perguntas

"A principal coisa que faço é perguntar um monte de perguntas para mim mesmo", revelou Ricky Roxburgh. "Tenho uma lista de perguntas que faço a mim mesmo. Como esse personagem se vê? Como os outros personagens veem essa pessoa?"

Outras perguntas a se fazer podem ser divididas nas características internas e externas de seu personagem: quais são os objetivos externos dele? De que forma ele precisa mudar internamente? Como a experiência de vida dele se reflete em sua imagem física? O que ele teme?

Reserve algum tempo para conhecer bem seu personagem com estas perguntas de desenvolvimento de personagem, de Monica Piper, e com esta lista de 20 perguntas para fazer a todo personagem que você cria em seu roteiro.

3. Pense nos personagens como um ecossistema

"Você não precisa pensar em cada personagem isoladamente. Pense em todo o seu conjunto de personagens como um ecossistema, e reflita sobre as pressões que cada um exerce sobre o outro", explicou Ross Brown. "Se você pensar nisso, em vez de em uma lista de personagens, como uma roda com seu personagem central no meio e, em seguida, com raios que saem e que representam os outros personagens da história, pergunte-se como cada um desses personagens secundários impõe um desafio, pressão, demanda diferente, o que quer que seja, sobre seu personagem principal, e isso também irá ajudá-lo a desenvolver seu personagem principal e seus personagens secundários."

A abordagem de Roxburgh é parecida.

"Personagens únicos vêm de falhas e peculiaridades e, você sabe, de 'tons de cinza'. Depois de criar um personagem que tenha alguns desses elementos que pareçam reais para seu personagem central, encontrar os outros personagens que irão empurrar esse personagem para fora de sua zona de conforto, dizer uma verdade que ele não vai ouvir e expor as falhas do seu personagem, todos eles meio que se desenvolvem a partir daí. E, então, você pode se fazer as mesmas perguntas sobre esses personagens e desenvolvê-los."

Ao desenvolver personagens, pense neles em conjunto com outros personagens em seu roteiro. Como eles se complementam ou trabalham uns contra os outros para levar a história adiante ou adicionar tensão? O coadjuvante pode ser muito bom com dinheiro, enquanto o protagonista tem uma queda por jogos de azar. Enquanto isso, outro amigo é um agiota que mantém o protagonista preso em seus caminhos. Sempre considere o papel essencial que cada personagem desempenha.

4. Use a regra de três

"O que é importante sobre o desenvolvimento do personagem é nos oferecer momentos para mostrar onde ele está começando e como está aprendendo, e então, como está crescendo, e leva apenas três cenas para fazer isso, certo?", Bryan Young explicou. “Digamos que ele tem medo de cachorros, certo? Na primeira cena, você tem que mostrar que ele tem medo de cachorros. Em algum lugar no meio do filme, você tem que mostrar que ele não é necessariamente... ele está tentando superar isso, mas não tem certeza. E, então, no clímax, ele deve confrontar o cão. Há aí uma linha muito clara de desenvolvimento do personagem, porque vimos isso ao longo da história. Essa regra de três é realmente sua companheira para ajudar no desenvolvimento do personagem."

A regra de três de Young refere-se à construção de um arco para seu personagem, uma jornada emocional própria que é paralela ao enredo de sua história. Saiba mais sobre os três principais tipos de arcos de personagem para saber onde seu personagem se encaixa.

Lembre-se, cada personagem em seu roteiro, incluindo seu vilão, deve ser igualmente examinado por meio desse processo. Ele também ajudará você a classificar os personagens, se sua lista estiver ficando longa, mesclar personagens em um, para torná-los mais emocionantes e impactantes, e remover personagens que claramente não estão adicionando nada à sua história.

E os nomes também importam! Embora não tenhamos abordado a importância do nome dos personagens aqui, analisamos em detalhes como escolher um nome de personagem aqui e listamos alguns dos nomes mais populares em roteiros, incluindo desde opções masculinas, femininas e não binárias até nomes populares em diversos gêneros.

"O desenvolvimento do personagem é algo realmente interessante", concluiu Brown. "De certa forma, parece orgânico. Tento deixar os personagens falarem comigo. Sei que isso parece um pouco místico."

Adoramos coisas místicas!

Concluindo: para dar vida aos personagens, escreva a partir do que você conhece, faça muitas perguntas, pense em sua lista de personagens como um ecossistema e use a regra de três. Com essas dicas dos profissionais, seus personagens serão fortes o suficiente para superar qualquer coisa que você colocar no caminho deles — e ainda farão seu público torcer por eles (ou vaiá-los) durante o processo.

Sobre os especialistas:

  • Ross Brown é um veterano roteirista, produtor e diretor de TV, com créditos em programas de sucesso como "Step by Step", "The Facts of Life" e "Férias Frustradas". Atualmente, ele é diretor do programa de mestrado em escrita criativa da Antioch University em Santa Bárbara.

  • Monica Piper é comediante, dramaturga e escritora de TV, com créditos em "Rugrats: Os Anjinhos", "Mad About You" e "Aaahh!! Real Monsters", para citar alguns. Ela também é palestrante motivacional.

  • Ricky Roxburgh é editor de histórias da DreamWorks Animation e ex-redator da Disney Television Animation. Seus créditos de TV incluem "As Enroladas Aventuras da Rapunzel", "Mickey Mouse Curtas", "Monstros no Trabalho" e "Operação Big Hero: A Série". Ele também escreveu o roteiro do longa-metragem de animação, "Como Salvar o Papai Noel" e do próximo longa-metragem de animação com temática ambiental, "Ozi".

  • Bryan Young é um premiado roteirista, autor, podcaster e jornalista. Ele colabora regularmente para os sites StarWars.com, HowStuffWorks.com, SciFi.com e Slashfilm.com, e apresenta dois podcasts. E também ministra cursos para a Writer's Digest Screenwriter's University.

Permaneça dentro do personagem,

Você também pode se interessar por…

contar uma história visualmente

Como contar uma história visualmente

Existem algumas diferenças importantes entre escrever um roteiro e escrever qualquer outra coisa. Para começar, a estrutura de formatação é muito específica, e você não chegará muito longe (pelo menos, por enquanto) sem conhecê-la. Os roteiros também devem ser como modelos para, em última análise, uma obra de arte visual. Eles requerem colaboração. Várias pessoas precisam trabalhar juntas para criar a história final que se desenrola na tela. E isso significa que seu roteiro precisa ter um enredo e um tema atraentes, e ser conduzido com recursos visuais. Parece difícil? É...

adicionar emoção ao seu roteiro

Como adicionar emoção ao seu roteiro

Você já se flagrou trabalhando em seu roteiro e se perguntando: "onde está a emoção?" “Alguém sentirá alguma coisa quando assistir a este filme?” Isso acontece com todos nós! Quando está focado na estrutura, indo do ponto A ao B na história e fazendo com que toda a mecânica geral dela funcione, você poderá descobrir que seu roteiro está perdendo alguns beats emocionais. Então, hoje, vou explicar algumas técnicas para que você possa aprender como adicionar emoção ao seu roteiro! Você pode infundir emoção em seu roteiro por meio de conflito, ação, diálogo e justaposição...
How Do You Create Climactic Twists in Your Screenplay? Screenwriter Bryan Young Explains

Como escrever reviravoltas de clima em seu roteiro

Eu amo uma grande reviravolta! Infelizmente, as reviravoltas costumam ser previsíveis. Quase consigo identificá-las no primeiro ato, e isso deixa meus colegas malucos. Então, se você quiser escrever uma reviravolta de clima em seu roteiro, algumas técnicas comprovadas manterão seu público em dúvida até o final. E, talvez, você até me deixe em dúvida! Bryan Young é cineasta, roteirista e jornalista de alguns sites de primeira linha, incluindo StarWars.com, HowStuffWorks.com, Syfy.com e /Film. Ele analisou alguns dos filmes favoritos do mundo para determinar o que os...