Blog de Criação de Roteiros
Publicado em por Victoria Lucia

Como adicionar emoção ao seu roteiro

adicionar emoção ao seu roteiro

Você já se flagrou trabalhando em seu roteiro e se perguntando: "onde está a emoção?" “Alguém sentirá alguma coisa quando assistir a este filme?” Isso acontece com todos nós! Quando está focado na estrutura, indo do ponto A ao B na história e fazendo com que toda a mecânica geral dela funcione, você poderá descobrir que seu roteiro está perdendo alguns beats emocionais.

Reserve seu lugar na fila, roteirista! Estamos mais próximos de lançar o Software de Roteiro SoCreate para um número limitado de testadores beta. sem sair da página.

Então, hoje, vou explicar algumas técnicas para que você possa aprender como adicionar emoção ao seu roteiro! Você pode infundir emoção em seu roteiro por meio de conflito, ação, diálogo e justaposição, e vou ensinar como fazer isso.

Busque um conflito

A primeira coisa que faço quando sinto que meu roteiro não tem emoção é verificar as fontes de conflito. Todos sabemos que o conflito deve conduzir seu roteiro, guiando, assim, seus personagens através de uma transformação, bem como alterando os estados emocionais. Você pode notar que seus personagens estão emocionalmente confusos, e isso é um sinal de que há lugares em seu roteiro em que você pode gerar mais conflito. Seu personagem principal está deixando cada cena no mesmo estado emocional em que entrou? Isso pode ser um sinal de que algo está faltando na questão do conflito. Suas cenas devem começar e terminar alternando cargas positivas e negativas para evitar que o estado emocional do seu personagem seja uniforme.

Não escreva um romance

Você pode ficar tentando a descrever emoções no seu roteiro, mas escrever um roteiro não é o mesmo que escrever um romance. Pegar essa saída fácil deixará você com um roteiro que parece amador. Os roteiristas não podem apenas descrever a emoção que um personagem está sentindo; precisamos mostrar isso. Um bom roteiro expressa as emoções dos personagens através de ações. Em vez de escrever “Sara está triste”, um roteirista pode dizer: “Sara sufoca em lágrimas”.

Verbos de ação fortes podem ajudar a adicionar características emocionais às ações de um protagonista e tornar a nós, o público, empáticos. Palavras como pisotear, sorrir, vangloriar, pavonear e encolher podem ter conotações emocionais.

Diálogo emocional é a chave

Encontre oportunidades em seu diálogo para transmitir as emoções do seu personagem. Às vezes, as pessoas dizem o contrário do que realmente querem dizer. Às vezes, as pessoas ficam bravas com algo arbitrário, mas, na verdade, estão chateadas com outra coisa. Às vezes, as pessoas falam sobre coisas sem sentido para evitar falar sobre algo significativo. Lembre-se de todas as maneiras diferentes pelas quais as pessoas se comunicam e demonstram emoção ao criar a forma como seu personagem fala. Sem dizer claramente, qual é o subtexto? Reveja algumas cenas de diálogo com seu personagem principal e veja como ele expressa seu estado emocional. Ele é passivo-agressivo ou mais óbvio em relação à forma como está se sentindo? Você talvez encontre oportunidades para tornar as emoções de seu personagem mais claras.

Seja prudente com parênteses

Você pode adicionar parênteses antes do diálogo do seu personagem para expressar como ele está dizendo o texto. Então, se quiser que seu personagem diga sua fala “calmamente” ou “com raiva”, esta seria uma maneira de fazer isso. Sugiro usar parênteses com moderação, pois pode parecer que você está tentando dirigir a partir da página. A emoção deve ser incorporada ao diálogo pelo assunto em foco e pela ação, na maior parte.

Justaponha seus locais e personagens

Considere realmente o que está acontecendo na sua cena e procure oportunidades para realçar ou demonstrar ainda mais as emoções do seu personagem. Seu personagem está se sentindo chateado, mas está em um lugar com estereótipo feliz, como um parque de diversões ou uma festa de aniversário infantil? Justapor o estado emocional de um personagem com um local contrastante pode trazer algo interessante na forma como seu personagem interage com o espaço ou com os outros. Quando usada corretamente, essa técnica pode aumentar a tensão do público ou fazê-lo rir devido ao estado de desconforto do personagem.

Ou talvez dois irmãos estejam no funeral da mãe; um está ocupado organizando as coisas, certificando-se de que todos estejam sendo bem atendidos, e o outro está sentado sozinho bebendo. Mostrar reações muito diferentes de dois personagens em uma mesma situação pode nos dar uma visão mais detalhada de quem eles são como pessoas, talvez fazendo o público se identificar com um deles e ficar com raiva do outro.

Os espectadores precisam de momentos emocionantes para se conectar com os personagens e com sua história. Eles precisam de uma escrita com grande carga emocional para investir seu tempo em um programa de TV ou filme. Você não quer minar seu roteiro ao desperdiçar oportunidades de relevância emocional. Como alguém que luta para que os roteiros acertem na emoção, faço questão de fazer uma edição na qual apenas leio para sentir as emoções. Pode ser útil restringir seu escopo a cada reescrita para se perguntar se a jornada emocional do seu personagem é realista e clara para o público.

Espero que este artigo tenha dado a você algumas ideias sobre como adicionar emoção ao seu roteiro! Boa escrita!

Você também pode se interessar por…

O que as histórias infantis podem ensinar aos roteiristas sobre storytelling

O que as histórias infantis podem ensinar aos roteiristas sobre storytelling

Livros infantis, programas de televisão e filmes são nossas primeiras introduções ao storytelling. Essas histórias iniciais ajudam a definir como entendemos e interagimos com o mundo. O valor delas não é perdido depois que envelhecemos; pelo contrário, as histórias infantis podem ajudar a nos ensinar uma coisa ou outra sobre criação de roteiros! Mais simples costuma ser melhor. As histórias infantis nos ensinam a pegar uma ideia e destilá-la até o cerne de si mesma. Não estou dizendo para você "emburrecer" algo, mas estou falando sobre expressar uma ideia da maneira mais...

usar as regras de storytelling da Pixar em seu roteiro

Como usar as regras de storytelling da Pixar em seu roteiro

A Pixar é sinônimo de filmes interessantes com personagens complexos e histórias que vão atingir você diretamente nos sentimentos. Como eles conseguem produzir filme de sucesso após filme de sucesso? Em 2011, a ex-artista de storyboard da Pixar Emma Coats tweetou um conjunto de regras de storytelling que ela aprendeu enquanto trabalhava na Pixar. Essas regras se tornaram conhecidas como as “22 Regras de Storytelling da Pixar”. Hoje, vou compartilhar essas regras com vocês e detalhar como faço uso delas ao criar roteiros. #1: Você admira um personagem mais por tentar...

escrever um roteiro de fanfiction

Como escrever um roteiro de fanfiction

“50 Tons de Cinza”, “After” e “Os Instrumentos Mortais” têm algo em comum: são obras de fanfiction que se transformaram em filmes! Às vezes escritas como fanfiction, fan fiction, fanfic e fic, essas histórias podem ser definidas como escritas ficcionais criadas por fãs de uma obra de ficção existente, como um filme, livro ou programa de televisão. Hoje, estou falando sobre como mergulhar mais fundo nas coisas que um roteirista deve considerar ao escrever seu próprio roteiro de fanfiction. O que é fanfiction nas indústrias de cinema e televisão? Na televisão, você pode...