Blog de Criação de Roteiros
Publicado em por Courtney Meznarich

Como é que é?! Termos e significados da roteirização

Ponto de interrogação

Roteiristas especialistas dizem que uma das melhores maneiras de aprender a escrever um roteiro é ler roteiros que já foram produzidos. Você pode se deparar com alguns termos desconhecidos ao fazer isso, especialmente se for novo nesta arte. Preparamos uma leitura rápida para você consultar quando encontrar uma palavra ou um acrônimo cujo significado seja desconhecido. Também é bom conhecer esses termos quando você mergulhar na criação da sua obra-prima em forma de roteiro, é claro!

  • Action (Ação)

    Mostrar através da ação é geralmente melhor do que contar através do diálogo. Ação é a descrição da cena, o que o personagem está fazendo, e freqüentemente inclui uma descrição do som.

  • ANGLE ON (ÂNGULO SOBRE):

    Uma tomada de câmera usada para instruir o diretor de que estamos na mesma cena, mas alterando as tomadas para focar em algo específico. Use as posições da câmera somente quando necessário, pois isso pode atrapalhar o fluxo do roteiro. Os ângulos da câmera geralmente são reservados para roteiros de filmagem, em oposição aos roteiros de especulação.

  • Beat

    Esse termos pode significar algumas coisas, mas, quando você o vê escrito em um roteiro, ele significa uma breve pausa.

  • b.g.

    Background (plano de fundo), sempre escrito por extenso ou abreviado em letras minúsculas. Pode ser usado para descrever a ação que ocorre no plano de fundo, em oposição à ação principal da cena..

  • Character (Personagem)

    O nome do personagem aparece em letras maiúsculas após a primeira menção na descrição da ação. O nome pode, em seguida, ser escrito normalmente na descrição da ação subsequente, mas ainda deverá estar todo em maiúsculas quando o personagem estiver falando.

  • CLOSE ON/INSERT

    Descrição da cena que requer um close em uma ação, pessoa ou objeto que receba toda a atenção da câmera por um momento.

  • CONTINUOUS (CONTINUIDADE)

    Em vez de DIA ou NOITE no final de uma descrição de local, você poderá ver CONTINUIDADE. Isso implica ação que se move de um local para outro sem interrupção no tempo.

  • CRAWL

    Usado para descrever um texto sobreposto que se move pela tela em qualquer direção.

  • CUT TO (CORTAR PARA):

    Transição usada para alternar cenas ao longo de um quadro.

  • DISSOLVE TO (DISSOLVER PARA):

    Transição usada para sugerir que uma cena está desaparecendo e outra está surgindo, muitas vezes empregada para transmitir a passagem do tempo.

  • ECU (Extreme close-up)

    Close-up extremo.

  • ESTABLISHING SHOT (TOMADA DE DEFINIÇÃO):

    Tomada que normalmente é usada para estabelecer a localização, mais frequentemente empregada no início de um filme.

  • EXT. / INT.

    Exterior, acontece ao ar livre. Interior, acontece em locais fechados. Os produtores usam essas descrições para calcular os custos de produção.

  • FADE TO:

    Essa transição sugere o fim de um movimento importante no filme, e indica que a próxima cena está ocorrendo dias, meses ou anos mais tarde. Normalmente, FADE TO é seguido por uma cor, como FADE TO BLACK.

  • FAVOR ON

    Um objeto, personagem ou ação é favorecido em uma tomada.

  • FLASHBACK

    Denota que a próxima ação ou diálogo aconteceu no passado. Se necessário, você pode escrever DIA ATUAL para fazer a transição a partir do flashback.

  • FREEZE FRAME (CONGELAR)

    O quadro deixa de se mover por um período de tempo. Pode ser usado quando uma cena se torna uma fotografia imóvel.

  • INTERCUT BETWEEN (INTERPOSIÇÃO)

    Indica que duas ou mais cenas serão mostradas de forma interposta por algumas vezes consecutivamente.

  • INTO FRAME/INTO VIEW

    Uma ação, personagem ou objeto entra no enquadramento enquanto a câmera está parada.

  • JUMP CUT TO: (CORTE)

    Uma transição que une elementos contínuos, dando o efeito de avançar no tempo. Esses cortes apresentam o mesmo assunto e a mesma posição ou posição de câmera muito similar, sem transição entre eles, além do "salto" para o próximo quadro.

  • MATCH CUT TO: (ASSOCIAÇÃO)

    Uma transição entre cenas que associa o final da ação de uma cena anterior com o início da ação na próxima cena. Por exemplo, uma mulher enfia uma faca em um intruso, cuja cena se associa a um chef que apunhala um pedaço de carne em sua tábua de corte.

  • Montage: (Montagem)

    Sequência de tomadas mostrando um personagem ou personagens completando várias ações ao longo do tempo.

  • MOS

    Momento de silêncio.

  • O.S. or O.C.

    Off screen, ou off camera, descreve uma ação ou diálogo que está ocorrendo fora do enquadramento visível.

  • Parenthetical (Parênteses)

    O texto entre parênteses antes do diálogo, mas depois do nome do personagem, indica o rumo do ator ou instruções sobre como ele deve entregar o diálogo.

  • PULL BACK

    A câmera se afasta do indivíduo, objeto ou ação.

  • PULL FOCUS

    O foco da câmera transita de um indivíduo, objeto ou ação para outro.

  • PUSH IN

    A câmera se move em direção a um indivíduo, objeto ou ação.

  • POV

    Ponto de vista.

  • Scene (Cena)

    Evento que ocorre em um local ou hora. Se passarmos de uma cena para outra, uma slug line indicará a nova localização, seja uma nova sala ou uma nova hora (ex.: 10 minutos depois).

  • Shooting Script (Roteiro final)

    O esboço final de um roteiro que inclui notas de produção e é usado pela equipe de produção, atores e diretor para fazer um filme.

  • Spec Script (Roteiro de especificação)

    Um roteiro escrito por um roteirista que não foi contratado para fazê-lo, fora do sistema do estúdio. Um roteirista pode optar por escrever roteiros de especificação e depois enviá-los para os estúdios, para consideração.

  • Slug Line

    O texto escrito todo em MAIÚSCULAS no início de uma cena que inclui INT. ou EXT., localização e hora do dia.

  • SMASH CUT TO:

    Usado para sugerir destruição ou mudanças emocionais, esta transição brusca poderia ser usada em um filme de terror, enquanto o assassino levanta a faca para matar a vítima, e pouco antes da sanguinolência, a câmera corta para um belo jardim cheio de borboletas.

  • STOCK SHOT

    Usado para inserir imagens de outra fonte, como um clipe de notícias, filmagens históricas ou outros filmes.

  • SUPER/SUPER TITLE/TITLE

    Sobreposto à tomada atual. Por exemplo, títulos, descrição da localização ou a passagem do tempo podem ser indicados na tela.

  • Swish Pan

    Plano de transição em que a câmera se move rapidamente de um objeto, ação ou indivíduo para outro, geralmente criando um efeito de distorção.

  • TIGHT ON

    Direção da câmera usada para efeito dramático, em que uma pessoa, objeto ou ação é exibida de perto.

  • Tracking Shot

    A câmera segue o indivíduo, em vez de ficar estática em um tripé.

  • Transition

    O estilo usado para ir de uma cena para a próxima.

  • V.O.

    Voice over; significa que o personagem está falando, mas não o vemos na câmera, ou não vemos a boca dele se movendo.

  • XLS

    Tomada extremamente distante, isto é, a câmera é posicionada bem longe do indivíduo, objeto ou ação.

Aí está! Este glossário abrange a maioria das principais palavras ou abreviações que você verá em um roteiro (mas não todas). Se você encontrar alguma outra, envie um tweet para mim em @Courtonthecoast, e eu explicarei com prazer! Senão, sugiro que você adicione esta página aos favoritos para facilitar seu acesso.

Agora, aproveite para devorar alguns roteiros!

Você também pode se interessar por…

Como escrever um idioma estrangeiro em um roteiro

Hollywood, Bollywood, Nollywood ... no século 21, os filmes são feitos em todos os lugares. E, enquanto a indústria cinematográfica se expande, também aumenta nosso desejo de ouvir vozes mais diversas, incluindo línguas que talvez não entendamos. Porém, com a formatação rigorosa do roteiro, como utilizar um idioma estrangeiro para melhorar a autenticidade da sua história e, ao mesmo tempo, torná-lo legível e não confuso? Não tenha medo: existem algumas maneiras simples de adicionar diálogos em idioma estrangeiro ao seu roteiro, sem necessidade de traduções ...

4 problemas comuns de diálogo em um roteiro

Os roteiros devem ser leituras concisas, precisas e feitas quase sem esforço. Mas existem problemas comuns de diálogo que confundem a pureza do roteiro, deixando o leitor se arrastando por páginas e páginas de enrolação. Felizmente, esses problemas são fáceis de detectar durante uma reescrita. Leia atentamente quatro problemas de diálogo comuns que você provavelmente encontrará (e arrumará) agora. 1) Diálogo excessivo Recentemente, encerramos o Concurso de Roteiro de Uma Página “Get Writing” da SoCreate, e os resultados são fascinantes. Onde alguns escritores reclamaram ...

Atos, cenas e sequências - Qual deve ser a duração de cada um deles?

Se eu tivesse que indicar meu adágio favorito, seria aquele que diz que as regras servem para ser quebradas (a maioria delas; limites de velocidade são exceção!), mas você deve conhecer as regras antes de poder quebrá-las. Portanto, lembre-se disso enquanto lê o que eu chamo de "diretrizes" de timing para atos, cenas e sequências em um roteiro. Existe um bom motivo para essas diretrizes, no entanto (assim como para os limites de velocidade 😊); portanto, não exceda muito os limites, ou você poderá pagar por isso mais tarde. Vamos começar do início. Um roteiro de 90-110 páginas é ...

Comentários