Blog de Criação de Roteiros
Publicado em por Victoria Lucia

O que faz uma grande história? 4 elementos-chave

O que faz uma grande história?

4 elementos-chave

Escrever um enredo é uma coisa, mas escrever uma boa história que se conecte com seu público-alvo é um grande desafio. Tecnicamente falando, sempre há alguma receita para contar uma história de sucesso? Explore os quatro elementos de uma boa história para tornar seu próximo projeto o mais atraente de todos!

Uma boa história envolve o público e faz com que ele se sinta conectado a ela. Quando alguém termina um livro ou programa de TV sentindo que algo foi interessante, importante ou fascinante, isso significa que o escritor fez alguma coisa, se não muitas coisas, certo.

Reserve seu lugar na fila!

Obtenha acesso antecipado ao Software de Roteiro SoCreate. O cadastro é GRÁTIS!

Todas as histórias são diferentes, sejam seus enredos, gêneros ou personagens. Os leitores têm preferências e opiniões diferentes, e não há um único elemento por si só que faça uma ótima narrativa. A chave é que quase qualquer arco de história convincente apresentará pelo menos quatro elementos-chave, os quais podem ser aplicados a todos os meios de contar histórias.

4 elementos-chave de uma história universalmente boa

Estrutura sólida

Uma estrutura sólida significa que o enredo tem uma progressão clara e natural. As histórias devem se mover com fluidez de um beat para outro. A estrutura deve fluir e fazer sentido sem dar muito trabalho para entender por parte do público. Da ação ascendente ao clímax e à ação descendente, cada elemento da trama deve parecer lógico.

Personagens fortes

Todas as histórias devem ter personagens convincentes e memoráveis, como pessoas com falhas, personagens com traços únicos e personagens com objetivos e motivações interessantes. O que torna esses personagens cativantes é que eles se sentem como pessoas comuns. Pessoas reais são complicadas, contraditórias e muitas vezes surpreendentes. Criar seus personagens para que sejam tão multifacetados quanto as pessoas na vida real gera a promessa de que eles causarão um impacto duradouro em seu leitor.

Conteúdo dramático poderoso

Boas histórias precisam de um conteúdo dramático que ofereça tensão suficiente para conduzir o arco narrativo. Os desenvolvimentos dramáticos devem causar a impressão de que têm consequências e ramificações reais para seus personagens. O conflito é o cerne de uma história. Não o subestime, minando suas chances de criar drama. A vida real tem seu quinhão de momentos dramáticos, então, seu público espera que sua história espelhe isso.

Um tema capaz de criar conexão

Quando penso em filmes recentes da Disney, como “Encanto”, escrito por Charise Castro Smith e Jared Bush, ou “Luca”, escrito por Jesse Andrews e Mike Jones, fico impressionado com o poder dos temas. Temas de dinâmica familiar, trauma geracional, identidade e aceitação são aparentes. Esses são todos muito poderosos porque são universais. Eles se conectam com o público porque todos podem se relacionar com eles de alguma forma e lembrar de um momento em que sentiram ou lidaram com algo semelhante.

Uma boa história leva tempo para desenvolver seus temas, mas não exagera neles. O público não precisa ser sobrecarregado com um tema. 

Elementos de uma ótima narrativa por mídia

Além dos quatro elementos de uma ótima narrativa que detalhei acima, diferentes mídias também têm suas melhores práticas específicas. Por exemplo, escrever um ótimo roteiro é diferente de escrever um romance que os leitores não conseguem largar. 

O que faz um ótimo roteiro?

  • Um protagonista relacionável

    Grandes filmes têm personagens principais que atraem o público e o faz querer torcer por ele ao longo do filme. Eles devem ser relacionáveis e falíveis, mas capazes de superar suas deficiências e fazer o que é certo no final.

  • Um vilão que ascende ao encontro do protagonista

    Um bom filme precisa de um antagonista bem escrito para frustrar o protagonista. Uma história memorável tem um vilão que parece tão desenvolvido quanto o protagonista. O Coringa e o Batman em “O Cavaleiro das Trevas”, escrito por Jonathan Nolan, Christopher Nolan e David S. Goyer, parecem forças iguais e opostas que inevitavelmente se juntam por meio de conflito. Através do Coringa, aprendemos mais sobre o Batman. Aprendemos sobre sua moral e a respeito de quais limites ele não cruzará. Esses dois personagens trazem a versão mais dramática um do outro, o que é atraente de assistir.

O que faz um ótimo programa de televisão?

  • Personagens que crescem e mudam

    Os programas de TV devem ter tempo para traçar os arcos dos personagens. Um arco de personagem bem pensado dá a impressão de que esse personagem está passando por algo e mudando em resposta àquilo. A evolução de Walter White ao longo de “Breaking Bad”, criada por Vince Gilligan, é um excelente exemplo de um personagem bem trabalhado cujo arco parece merecido.

  • Planeje as ramificações

    Grandes programas de televisão geralmente têm enredos que foram claramente mapeados com antecedência. Durante a primeira temporada, os roteiristas sabiam para onde as coisas iriam nas temporadas três ou quatro. Um programa de televisão com um bom enredo não é suficiente para torná-lo ótimo. É preciso haver coisas contínuas que mudam e conduzem o enredo de maneiras críveis ao longo de várias temporadas.

O que faz um ótimo romance?

  • Introdução forte

    Um ótimo romance imediatamente prende o leitor na primeira página. Ter uma introdução forte é essencial para livros de ficção e não ficção. Você não quer dar ao leitor uma desculpa para largar seu livro. Um romance deve mergulhar o leitor em seu mundo nas primeiras páginas.

  • Voz narrativa forte

    A ótima literatura deve ter uma voz narrativa distinta que lhe dê a impressão de que você sabe quem está contando a história. Não importa a perspectiva, a voz narrativa deve ser consistente e forte por toda parte.

O que faz uma ótima história infantil?

  • Trata as crianças com respeito

    Uma ótima história infantil não deve ser suavizada para seu público. As histórias infantis precisam respeitar o fato de que as crianças são seres humanos jovens e apresentar-lhes uma história que não camufle a realidade. Quando se trata de temas e assuntos com os quais as crianças realmente lidam, as histórias infantis devem abordá-las com honestidade e franqueza.

  • Instigante

    Ótimas histórias infantis devem ter enredos, temas, vocabulário e conceitos que expandam o pensamento das crianças. Elas devem estimular a imaginação das crianças e levá-las a explorar ideias que nunca pensaram antes.

Gostou desta publicação? Compartilhar é cuidar! Gostaríamos MUITO se você a compartilhasse na plataforma social de sua preferência.

Muitos elementos integram a criação de boas histórias e podem ser detalhados ainda mais de acordo com o meio. Espero que este artigo tenha fornecido elementos para você considerar trabalhar em seus próprios projetos! Boa escrita!

Você também pode se interessar por…

encontrar o alto conceito em seu roteiro

Como encontrar o alto conceito em seu roteiro

Você provavelmente já ouviu alguém dizer o seguinte: "esse filme tem um alto conceito", mas o que isso significa exatamente? Por que tantos executivos e estúdios procuram trabalhos de alto conceito? Hoje, vou detalhar o que significa precisamente "alto conceito", e dizer a você como encontrar o alto conceito em seu roteiro. Uma ideia de filme de “alto conceito” pode ser resumida a um gancho memorável e único. É um filme mais voltado para ideias ou para o mundo do que voltado para os personagens. Ele é fácil de comunicar e, acima de tudo, é original. Uma história de...

usar as regras de storytelling da Pixar em seu roteiro

Como usar as regras de storytelling da Pixar em seu roteiro

A Pixar é sinônimo de filmes interessantes com personagens complexos e histórias que vão atingir você diretamente nos sentimentos. Como eles conseguem produzir filme de sucesso após filme de sucesso? Em 2011, a ex-artista de storyboard da Pixar Emma Coats tweetou um conjunto de regras de storytelling que ela aprendeu enquanto trabalhava na Pixar. Essas regras se tornaram conhecidas como as “22 Regras de Storytelling da Pixar”. Hoje, vou compartilhar essas regras com vocês e detalhar como faço uso delas ao criar roteiros. #1: Você admira um personagem mais por tentar...

O que as histórias infantis podem ensinar aos roteiristas sobre storytelling

O que as histórias infantis podem ensinar aos roteiristas sobre storytelling

Livros infantis, programas de televisão e filmes são nossas primeiras introduções ao storytelling. Essas histórias iniciais ajudam a definir como entendemos e interagimos com o mundo. O valor delas não é perdido depois que envelhecemos; pelo contrário, as histórias infantis podem ajudar a nos ensinar uma coisa ou outra sobre criação de roteiros! Mais simples costuma ser melhor. As histórias infantis nos ensinam a pegar uma ideia e destilá-la até o cerne de si mesma. Não estou dizendo para você "emburrecer" algo, mas estou falando sobre expressar uma ideia da maneira mais...