Blog de Criação de Roteiros
Publicado em por Victoria Lucia

Como escrever para um público global

escrever para um público global

Escrever para um público global é um desafio para muitos escritores. Como você pode adaptar sua escrita para que o leitor internacional se identifique? Você tem escrito de uma maneira que provavelmente resultará em mal-entendidos - ou pior, ofensa - para os mercados internacionais? Hoje, vamos abordar as melhores práticas para escrever para um público global.

Reserve seu lugar na fila!

Obtenha acesso antecipado ao Software de Roteiro SoCreate. O cadastro é GRÁTIS!

6 dicas para escrever para um público internacional

Saber quem é seu público é parte importante da escrita. Nem todas as histórias são destinadas a todos, mas os temas universais podem atrair mais do que apenas um público de língua portuguesa. Para criar algo que muitas pessoas vão entender e se importar, você deve evitar qualquer coisa que possa atrapalhar, como uma linguagem específica de uma região ou traduções incorretas.

Aqui estão alguns pontos-chave que você precisa saber ao escrever para o público internacional!

1. Mantenha sua escrita simples e direta

Ao escrever para um público global, é essencial manter as coisas simples. Escreva frases curtas, diretas e completas e evite usar contrações. Diga o que você quer dizer sem usar metáforas ou expressões idiomáticas.

Outro ponto a reconsiderar, caso escreva em inglês, é o uso de phrasal verbs. Um phrasal verb é quando um verbo associado a uma preposição cria um novo significado. Por exemplo, let down x disappoint.

Jennifer was upset that she had let Emily down.

Esta frase pode confundir falantes não nativos porque eles podem entender a expressão “let down” literalmente. Emily está sendo fisicamente baixada? Você pode substituir esse phrasal verb por um verbo mais específico para evitar confusão.

Jennifer was upset that she had disappointed Emily.

Você escreveu a frase com um significado mais direto, facilitando a compreensão por um público global.

2. Entenda as diferenças culturais e o contexto

Todas as culturas têm suas diferenças e semelhanças. O que não sabemos sobre outra cultura ou supomos sobre ela muitas vezes pode atrapalhar nosso entendimento. Por exemplo, algumas culturas asiáticas e sul-americanas valorizam o trabalho conjunto para atingir um objetivo. Eles valorizam as necessidades do grupo sobre os desejos individuais. Nas culturas americanas e do norte da Europa, o valor é mais focado no indivíduo. Essas culturas estão mais focadas na realização pessoal. Não entender essa diferença pode confundir um leitor global que talvez pense que os americanos são egoístas e só se importam com si mesmos.

Tente ficar atento ao contexto cultural e à forma como outras culturas podem perceber as práticas específicas de cada país. Se possível, ofereça alguma explicação.

3. Sistema métrico x unidades imperiais

Algo tão simples quanto unidades de medida pode confundir leitores internacionais ao escrever para um público global. Como americana, estou sempre pensando em medidas em termos de unidades imperiais. Polegadas, pés, jardas. No entanto, o sistema métrico é o sistema de medição mais utilizado em todo o mundo. Então, quando você está escrevendo e tentando alcançar um público global, pode ser essencial ajustar em conformidade quaisquer medidas utilizadas. Mantenha seu público específico em mente.

4. Considere sua moeda

Esse é um erro comum principalmente entre os escritores americanos, creio. Diremos “dólares” ou “centavos”, sem perceber que outros países também usam esses termos. Para um público global, “dólares” e “centavos” não são claros o suficiente para discernir de qual moeda você está falando. Tente usar USD, CAD ou AUD para diferenciar entre moedas americanas, canadenses e australianas.

5. Especifique formatos de número de telefone

Muitas vezes, uma pessoa escreve seu número de telefone de 10 dígitos sem pensar. Ela incluirá o código de área e o próprio número. Ao escrever para um público global, é importante lembrar de incluir o código do seu país no início do número! Por exemplo, nos EUA é +1 e no Brasil é +55.

6. Evite jargões, figuras de linguagem e clichês

Uma grande parte da escrita para um público global é o desafio de traduzir um idioma para outro. Cada idioma tem suas próprias figuras de linguagem, gírias e conversas cotidianas. É importante estar ciente desse fato e saber como isso se traduz em outro idioma, ou como falantes não nativos podem não entendê-lo. Por exemplo, em inglês, “swing and a miss” ou “home run” são termos de beisebol que os americanos costumam usar em conversas cotidianas, e beisebol é um passatempo americano, então, essas expressões não seriam bem traduzidas. Você pode se surpreender ao descobrir quantos clichês utiliza em sua escrita quando começar a olhar a partir dessa perspectiva! 

Gostou desta publicação? Compartilhar é cuidar! Gostaríamos MUITO se você a compartilhasse na plataforma social de sua preferência.

Para resumir

Ao escrever para um público específico baseado em outro país, é importante pesquisar para entender as práticas culturais. O objetivo principal de sua escrita deve ser claro. Seu público deve entender você. Em seguida, sua escrita deve ser direcionada para um público específico. Isso pode significar ajustar as unidades de medida, números de telefone, moedas e práticas culturais em sua obra. Aquilo que se conecta com um público chinês pode não se conectar com um público europeu ou latino-americano. É importante pesquisar para poder falar diretamente com quem você pretende.

Você também pode se interessar por…

Culturas e personagens

narrativa ocidental versus oriental

Culturas e personagens: narrativa ocidental versus oriental

A cultura é a força motriz por trás da natureza imperfeita e das peculiaridades das pessoas, tanto na ficção quanto na vida real. Geralmente, pensamos na cultura como um fenômeno "superficial", como as roupas que vestimos e festividades culturais específicas ou eventos esportivos. Mas é muito mais profundo do que isso. A cultura em que nascemos molda profundamente a forma como percebemos o mundo ao nosso redor — mesmo que não percebamos. Ela distorce as lentes pelas quais experimentamos a vida e influencia nossas filosofias e...

usar técnicas de storytelling cultural para contar uma história única

Como usar técnicas de storytelling cultural para contar uma história única

O storytelling está no centro de quem somos, mas quem somos é algo variado e diverso. Nossas culturas individuais impactam significativamente nossas vidas e, por sua vez, a forma como contamos histórias. A cultura não só dita as histórias que contamos, mas também como as contamos. Como as técnicas de storytelling diferem em todo o mundo? O que diferentes países valorizam em suas histórias em relação a outros? Hoje, vou falar sobre como diferentes países usam a cultura no cinema e na televisão. Heróis: o mercado de filmes de Hollywood aprimorou a história do herói...
How to Use Mythology in Storytelling

Como usar a mitologia na escrita de roteiros

Um mito é uma história baseada em tradição que nos ajuda a explicar melhor o nosso mundo e a condição humana. Até a chegada do saudoso Joseph Campbell, Hollywood não sabia que suas histórias na tela eram baseadas em mitos antigos. Mas, hoje em dia, os contadores de histórias em todo o mundo reconhecem que existe um padrão na maioria das grandes histórias, sejam elas representadas no palco, em uma novela ou como um filme blockbuster de super-herói. Você também pode usar esse padrão mítico a seu favor. Você provavelmente já está incorporando algumas estruturas...