Blog de Criação de Roteiros
Publicado em por Courtney Meznarich

Como escrever para animação

escrever para animação

Se você pensou que um roteiro de live-action era pesado nos elementos visuais, espere até ver como é um roteiro escrito para animação! Eu consideraria a animação um meio totalmente diferente para contar histórias, embora alguns considerem a animação como um gênero. Hoje, vamos falar sobre como escrever para animação, seja um programa de televisão animado ou um filme, e como o processo difere do roteiro tradicional.

Reserve seu lugar na fila, roteirista! Estamos mais próximos de lançar o Software de Roteiro SoCreate para um número limitado de testadores beta. sem sair da página.

Para começar, entrevistamos o ex-escritor da Disney Animation Television Ricky Roxburgh (atualmente trabalhando como editor de histórias na Dreamworks). Como redator de equipe, ele escreveu episódios de alguns dos programas de televisão animados favoritos de seus filhos, incluindo "As Enroladas Aventuras da Rapunzel", "O Mundo Maravilhoso de Mickey Mouse" e "Operação Big Hero: A Série".

Existem muitas semelhanças entre um roteiro escrito para animação e um roteiro escrito para live-action, mas o processo de produção é muito diferente. Ele varia novamente se o roteiro for escrito sobre especificações para um filme ou por redatores de um programa existente.

"O que difere é o caminho do roteiro até a tela", iniciou Roxburgh. "Se você está trabalhando em um longa-metragem, as cenas costumam ser reescritas várias e várias vezes com os artistas da história. Se você está na TV, pode escrever um esboço, como quando faço para o "Mickey Shorts."

Diferenças entre roteiros animados e roteiros de live-action

De acordo com o roteirista de animação Jeffrey Scott, autor de "How to Write for Animation", estas são as principais diferenças entre um roteiro animado e um roteiro de live-action:

Descrições mais detalhadas

O roteirista quase tem a chance de "dirigir" ao escrever um roteiro animado, pois precisa ser incrivelmente detalhado sobre tudo o que o espectador verá (e o animador desenhará). Isso é diferente do live-action, para o qual o roteirista deve escrever visualmente e deixar algumas das direções abertas para interpretação quando o diretor se junta ao processo. No live-action, geralmente não se deve indicar a direção da câmera para o diretor.

O tempo da página é diferente

Devido à quantidade de descrições, uma única página em um roteiro animado equivale a cerca de 40 segundos de tempo de tela. Em contraste, uma única página em um roteiro de live-action corresponde a aproximadamente um minuto de tela.

Um processo ainda mais colaborativo

A menos que esteja escrevendo um roteiro de especificação para um longa-metragem de animação e tentando convencer alguém a produzi-lo mais tarde, é provável que você seja um redator contratado por um estúdio para escrever um longa-metragem ou programa de televisão. Você trabalhará com várias pessoas no processo, não se limitando a outros escritores e artistas de histórias. Seu roteiro mudará muitas, muitas e muitas vezes, então, você deve estar disposto a fazer parte do processo de modelagem até que sua equipe alcance o produto final. "Voltar à prancheta" adquire um significado inteiramente novo.

Normalmente reservado para histórias familiares

Embora existam exceções, os filmes e séries de televisão animados geralmente são centrados em histórias familiares baseadas em fantasia, ficção científica, temas morais e alguns personagens antropomórficos. As histórias são animadas porque precisam ser animadas (a menos que você tenha um enorme orçamento de efeitos especiais para fazer um castiçal cantar!). Elas fazem mais sentido como uma história animada do que como uma produção de live-action. Histórias animadas também costumam apresentar música e canto, que podem prender melhor a atenção de uma criança.

Nos primórdios, escrever para animação não significava escrever de forma alguma, mas uma colaboração entre artistas de histórias que discutiam um enredo com antecedência e, então, aventuravam-se por conta própria para animar suas sequências atribuídas. É por isso que você verá muitos artistas de histórias nos primeiros filmes animados da Disney com créditos de redação. Posteriormente, os artistas de história podem fazer o storyboard antecipadamente, com a coluna da esquerda de uma folha de papel apresentando os beats da história e a coluna da direita apresentando esboços rápidos relacionados. Uma vez que os estúdios começaram a terceirizar a animação, os escritores que não animavam tiveram que participar para explicar o que era esperado nos desenhos, tornando os roteiros de animação uma exigência. Hoje, os escritores de animação precisam ser incrivelmente descritivos para orientar os artistas sobre o que exatamente deve aparecer na tela.

Os escritores de animação também colaboram fortemente em seus projetos, e um roteiro nunca é feito até que a animação também o seja. Obviamente, isso varia de um programa de televisão para outro, como Roxburgh indicou para nós. Às vezes, você entregará um roteiro para animação, e eles farão as alterações necessárias. Mas, às vezes, esse roteiro volta para você, o escritor.

"Se você está na TV, pode escrever um esboço, como quando faço para o Mickey Shorts. Eu escrevo um esboço, que passa pelos artistas da história, e o artista da história dá corpo a essas cenas", ele afirmou.

Para a série "As Enroladas Aventuras da Rapunzel", é necessária colaboração adicional.

"Quando estou escrevendo "As Enroladas Aventuras da Rapunzel", essas cenas são escritas, e, então, o artista da história pode incrementar certas coisas, e posso ter que voltar a elas, então, é um processo mais lento, quase como microgerenciar os atores, em certo sentido, ou seus desempenhos, porque você sabe que os animadores e artistas da história estão fazendo isso. Portanto, esse processo é um pouco diferente."

Também existem dois tipos diferentes de roteiros que você geralmente verá quando analisar um filme de animação ou roteiros de programas de televisão. Um é lido como um roteiro tradicional, e você pode vê-lo sendo usado em um filme 3D. O outro, usado com mais frequência em filmes 2D e programas de TV, incluirá movimentos de câmera e descrições mais semelhantes às do diretor.

Veja este exemplo da série de televisão animada "Os Padrinhos Mágicos". Steve Marmel e Mike Bell escreveram este episódio. Os escritores são específicos sobre tudo o que precisa ser ilustrado, mas não vemos as tomadas de câmera específicas indicadas.

Trecho do roteiro de "Os Padrinhos Mágicos"

INT. ESTÔMAGO DE VICKY – SIMULTÂNEO

UM BARCO DE TURISMO ESTILO PIRATAS DO CARIBE sacode no ÁCIDO ESTOMACAL. Os passageiros incluem um CASAL DE GRIPE ESTOMACAL e um PARASITA MACHO, em um terno branco, sentado sozinho. UM GUIA TURÍSTICO –- uma criança humana de 16 anos -- senta-se na frente vestindo um traje de safári.

GUIA TURÍSTICO

Ainda temos espaço para mais um par de germes em nossa jornada pelo interior de uma garota malvada! Alguém? Dou-lhe uma… dou-lhe duas…

Você pode ler o roteiro inteiro e muitos outros episódios desse popular programa de animação visitando o perfil do produtor executivo Fred Seibert no Scribd. Ele também produz storyboards, pitch decks e bíblias disponíveis para você conferir! Tem muita coisa boa lá.

Aqui está outro exemplo de um rascunho posterior do filme "South Park", escrito por Trey Parker, Matt Stone e Pam Brady. Nele, você encontrará dicas semelhantes às de um diretor e ângulos precisos.

Trecho do roteiro do filme "South Park"

ANUNCIADOR DE RÁDIO

Bom dia, South Park! São cinco e meia da manhã de domingo !! Hora de alimentar os cavalos e dar água às vacas!!

De costas, vemos o garoto loiro se levantar da cama. Ele se espreguiça e vai até o armário.

Ainda vemos o menino apenas de costas quando ele enfia a mão no armário e tira um casaco laranja.

O garoto veste o casaco, depois, vira-se para a câmera e fecha o capuz, para que nunca possamos ver seu rosto direito.

E, mais tarde, no mesmo roteiro...

Trecho do roteiro do filme "South Park"

INT. MESMA CASA

CLOSE UP em uma bolsa escrito 'CHEESY POOFS'. Uma mão alcança a bolsa, puxa um maço de crocantes de laranja e os levanta --

BOOM PARA CIMA para revelar o rosto gordo de ERIC CARTMAN, de oito anos de idade, que come seus chips.

Agora vemos que o pequeno gordinho Eric está sentado em seu sofá, comendo Cheesy Poofs e assistindo televisão.

A campainha toca. Cartman não move um músculo.

CARTMAN

MÃE! TEM ALGUÉM NA PORTA!

Você tem um programa de televisão ou filme de animação favorito? Aqui está um exercício: assista novamente, considerando o que você aprendeu acima sobre como escrever um roteiro animado, e, depois tente transcrevê-lo. Você aprenderá o quão específico precisa ser nas descrições de cenas e personagens.

Resumindo, sim - escrever para animação é diferente de escrever para live-action, mas a necessidade de uma ótima história existe, não importa o meio. Uma animação chamativa e personagens e locais malucos não vão compensar uma história entediante sem tema ou lição. No entanto, escrever para animação pode ser muito divertido, pois não há limites para o que seus personagens podem fazer e onde suas histórias podem ocorrer.

Deixe sua imaginação correr solta!

Você também pode se interessar por…

O que as histórias infantis podem ensinar aos roteiristas sobre storytelling

O que as histórias infantis podem ensinar aos roteiristas sobre storytelling

Livros infantis, programas de televisão e filmes são nossas primeiras introduções ao storytelling. Essas histórias iniciais ajudam a definir como entendemos e interagimos com o mundo. O valor delas não é perdido depois que envelhecemos; pelo contrário, as histórias infantis podem ajudar a nos ensinar uma coisa ou outra sobre criação de roteiros! Mais simples costuma ser melhor. As histórias infantis nos ensinam a pegar uma ideia e destilá-la até o cerne de si mesma. Não estou dizendo para você "emburrecer" algo, mas estou falando sobre expressar uma ideia da maneira mais...

escrever um roteiro de fanfiction

Como escrever um roteiro de fanfiction

“50 Tons de Cinza”, “After” e “Os Instrumentos Mortais” têm algo em comum: são obras de fanfiction que se transformaram em filmes! Às vezes escritas como fanfiction, fan fiction, fanfic e fic, essas histórias podem ser definidas como escritas ficcionais criadas por fãs de uma obra de ficção existente, como um filme, livro ou programa de televisão. Hoje, estou falando sobre como mergulhar mais fundo nas coisas que um roteirista deve considerar ao escrever seu próprio roteiro de fanfiction. O que é fanfiction nas indústrias de cinema e televisão? Na televisão, você pode...

escrever um personagem vilão

Como escrever um personagem vilão

Thanos, Darth Vader, Hans Gruber – todos os três são vilões memoráveis. Os vilões forçam um herói a enfrentar a situação. Sem um vilão, o herói estaria apenas saindo e passando seu dia normalmente. Os vilões conduzem o conflito. Eles fornecem um contraste para comparar e entender melhor o herói. Um personagem vilão forte pode melhorar um filme, enquanto um personagem fraco e esquecível pode prejudicá-lo. Você está se perguntando como escrever um personagem vilão em seu próximo roteiro, capaz de aprimorar sua história? Continue lendo para saber quais são os...