Blog de Criação de Roteiros
Publicado em por Courtney Meznarich

3 formas de escrever uma conversa telefônica em um roteiro tradicional, segundo o roteirista Doug Richardson

Quando uma ligação não é apenas uma ligação? Quando você precisa mostrá-la, e não contá-la. Existem pelo menos três cenários diferentes a ser considerados quando você deseja inserir uma conversa telefônica em seu roteiro. Perguntamos ao roteirista Doug Richardson ("Bad Boys", "Refém", "Duro de Matar 2") como ele aborda as conversas telefônicas em seus roteiros, e ele disse que há três coisas a considerar:

  • Estamos vendo e ouvindo apenas um personagem?

  • Estamos vendo apenas um personagem, mas ouvindo pelo menos dois?

  • Estamos vendo e ouvindo os dois personagens?

Pense nisto: pode ser importante exibir os dois personagens, talvez porque eles estejam fazendo algo importante para a história.

“Você está vendo os dois lados da conversa? Phil está falando de sua cozinha, e Dave, com quem ele está falando, está falando a partir de dentro de seu carro? Você irá intercambiar entre os dois? Então, é preciso escrever uma cena para Dave em seu carro, assim como outra para Phil em sua cozinha”, disse Richardson.

Ou, talvez, apenas precisamos ver e ouvir um personagem, e sua ação na cena fala por si só. Determine que tipo de cenário de ligação telefônica será mais forte em sua história.

"Digamos que estamos ouvindo Phil falar ao telefone na cozinha, mas não precisamos ver Dave no carro", disse Richardson. Talvez, não precisamos saber de onde Dave está ligando. “Tudo o que precisamos fazer é ouvir a voz dele. Então, a cena ficaria apenas na cozinha, com Phil falando ao telefone com Dave. E, toda vez que Dave falasse, você teria um parênteses ao lado do nome do personagem, com a legenda (por telefone)."

Depois de decidir sobre a forma pela qual exibir a ligação, saiba como escrever essa cena em um roteiro tradicional. E adivinhe: temos publicações no blog sobre isso! Aqui estão três tutoriais, dependendo do cenário da sua história:

Não ligue para os contratempos.

Você também pode se interessar por…

Screenwriter Doug Richardson Tells You How to Sell Your Screenplay

Quer vender seu roteiro? O roteirista Doug Richardson conta como fazer

Considere isto de alguém que obteve enorme sucesso em Hollywood: seu roteiro precisa ser ótimo, caso você esteja tentando vendê-lo! O roteirista Doug Richardson (Duro de Matar 2, Uma Eleição Muito Atrapalhada, Bad Boys, Refém) comentou sobre esse conselho durante um bate-papo com a SoCreate na Conferência de Escritores da Costa Central. Assista ao vídeo ou leia a transcrição abaixo para conhecer a opinião do roteirista sobre a pergunta que ele mais recebe — "agora que meu roteiro está pronto, como faço para vendê-lo?" '"Como fazer para vender seu roteiro? Essa é uma ...

Atos, cenas e sequências - Qual deve ser a duração de cada um deles?

Se eu tivesse que indicar meu adágio favorito, seria aquele que diz que as regras servem para ser quebradas (a maioria delas; limites de velocidade são exceção!), mas você deve conhecer as regras antes de poder quebrá-las. Portanto, lembre-se disso enquanto lê o que eu chamo de "diretrizes" de timing para atos, cenas e sequências em um roteiro. Existe um bom motivo para essas diretrizes, no entanto (assim como para os limites de velocidade 😊); portanto, não exceda muito os limites, ou você poderá pagar por isso mais tarde. Vamos começar do início. Um roteiro de 90-110 páginas é ...

Como escrever um idioma estrangeiro em um roteiro

Hollywood, Bollywood, Nollywood ... no século 21, os filmes são feitos em todos os lugares. E, enquanto a indústria cinematográfica se expande, também aumenta nosso desejo de ouvir vozes mais diversas, incluindo línguas que talvez não entendamos. Porém, com a formatação rigorosa do roteiro, como utilizar um idioma estrangeiro para melhorar a autenticidade da sua história e, ao mesmo tempo, torná-lo legível e não confuso? Não tenha medo: existem algumas maneiras simples de adicionar diálogos em idioma estrangeiro ao seu roteiro, sem necessidade de traduções ...

Comentários