Blog de Criação de Roteiros
Publicado em por Courtney Meznarich

Por que escrever histórias? Estes 3 profissionais nos dão vida com suas respostas

De alguma forma, reunimos um painel de profissionais criativos durante uma sessão de entrevista no ano passado, e acabamos de descobrir um excelente debate entre eles sobre o tema das histórias; especificamente, por que você deveria escrever uma história. Leia a transcrição abaixo ou leve cinco minutos para assistir à entrevista em vídeo.

Mantenha seu lugar na fila, roteirista! Estamos chegando perto de lançar o software SoCreate Screenwriting para um número limitado de testadores beta. , sem sair desta página.

O debate conta com alguns dos nossos escritores favoritos de várias origens. Jonathan Maberry é autor de suspense best-seller do New York Times, escritor de quadrinhos, dramaturgo e professor. Jeanne V. Bowerman é roteirista, editora-chefe da Script Magazine, editora sênior da Writers Digest e fundadora do popular ScriptChat. E Doug Richardson fez um pouco de ambos, escrevendo livros e roteiros, incluindo "Duro de Matar 2", "Bad Boys" e "Refém". Coloque os três juntos, e a mágica acontece!

Aproveite.

Escrever histórias de qualquer tipo tem sido uma das nossas maneiras de nos proteger contra o mundo real e também de lidar com ele. Essas histórias fantásticas remontam ao passado. As primeiras coisas que compartilhamos foram histórias sobre fogueiras, e assim por diante. Elas parcialmente nos ajudam a resolver os problemas do mundo real, podemos colocá-los em uma história, oferecer a ela um melhor terceiro ato e uma resolução que seja mais satisfatória para nós, em vez de vê-la acontecer dia após dia sem nenhuma resolução clara. Conseguimos colocar a resolução na história, e também nos colocamos mais diretamente nessa história, para podermos confrontar essas situações, agir sobre o que está acontecendo e depois fazer parte da solução. Contar histórias não tem apenas a ver com fantasia. É o nosso jeito de entender o mundo em que vivemos, e esse sempre foi o caso.

Jonathan Maberry (JM)

E então, às vezes, quando você a escreve, e você é Jonathan Maberry, as pessoas compram milhões delas! E, para nós, é incrível ler sobre elas.

Doug Richardson (DR)

É meio que uma maneira de brincar de Deus. Você está recriando o mundo de uma forma que entretém ou emociona as pessoas, ou que simplesmente as tira completamente de sua realidade e permite que elas escapem do que está acontecendo em sua vida cotidiana, de coisas que elas não podem controlar, e simplesmente mergulhem neste pequeno mundo imaginário. Ou grande mundo imaginário!

Jeanne V. Bowerman (JB)

Sabe, apenas posso falar pessoalmente o motivo por que escolhi criar roteiros, pois eu era viciado em cinema. Eu adorava filmes. Eu adorava tudo sobre filmes. Eu me identificava com os filmes. Comecei a pensar em filmes. Estudei filmes. Estudei cinema. Escrever roteiros é uma consequência natural daquilo que eu amo. Quando você tem paixão por algo, e quer se envolver em algo, e quer fazer algo, quer fazer filmes, você faz o possível para fazer filmes. Escrever roteiros tem a ver com isso. É ser cineasta. Há tantas outras coisas, onde você pode superar as dificuldades da vida. Estamos falando em voltar para a fogueira. A humanidade sempre superou as dificuldades de se obter sucesso em alguma coisa. Escrever roteiros não é diferente disso. Fazer filmes não é diferente disso. E o outro lado disso é que, se você tiver sucesso e chegar lá, a recompensa é extraordinária. É incrivelmente prazeroso fazer um filme e vê-lo se sair bem. Vale a pena tentar fazer isso.

DR

E eu apenas acredito que as pessoas deveriam correr atrás de seu sonho. Se este é realmente o seu sonho, e é isso que você quer fazer, a única maneira de alcançar seu sonho é tentando. Mesmo se você não acabar sendo produzido, e não acabar obtendo aquele sucesso como roteirista que pensou que conseguiria, você ainda sabe, no final do dia... Tipo, meu maior medo é deitar no meu leito de morte e dizer "e se", e eu não quero nunca dizer "e se". Mas também acho que é bom ser prático. Então, se você já tem um roteiro que é realmente uma grande história e que está no seu disco rígido, por que não escrevê-lo na forma de romance, para que pelo menos as pessoas leiam suas histórias, e pelo menos você esteja se sentindo validado por emocionar pessoas com suas palavras?

JB

Se você sente vontade de criar, precisa criar, pois, senão, você fica com uma insatisfação interna. Pois você tem uma história que quer contar, mas não está contando porque está com medo. O medo não faz parte do plano de negócios de nenhuma pessoa bem-sucedida. O medo é o que nos impede de tentar. Quando escrevi meu primeiro romance, não fazia ideia de que ele venderia. Fui um cara da área de não ficção por 25 anos. Escrevi um romance só porque eu queria escrever um romance sobre um assunto que eu não tinha visto ninguém abordar. Fiz isso por diversão, mas, depois, pensei: por que não tentar conseguir um agente? Quem disse que eu não posso? Se você é um autor inédito, não há nenhuma prova de que você não pode ser a próxima grande novidade. Então, por que não tentar? E isso se tornou meu plano de negócios. Por que não? Por que não alguém que ama e coloca seu coração nisso? Vá em frente e tente — às vezes, isso funciona.

JM

Essas são as minhas quatro palavras favoritas. Elas deveriam estar em uma camiseta. Por que não eu? Sério. Por que não eu?

DR

E não se trata de arrogância. Tem a ver com otimismo.

JM

Totalmente. É otimismo. É esperança, esforçar-se e fazer seu melhor. As pessoas conseguem ser bem-sucedidas. Por que não eu?

DR

Vamos produzir essas camisetas.

JB

Vou registrar essa frase e ganhar dinheiro com ela.

DR

Certifique-se de que eu ganhe um chapéu.

JM

Você também pode se interessar por…

‘Stranger Things’ Showrunner's Assistant Explains Other Jobs for Aspiring Screenwriters

Assistente de showrunner de Stranger Things explica sobre trabalhos alternativos para roteiristas aspirantes

Se a sua carreira de roteirista ainda não decolou, e você ainda precisa manter seu emprego diário, seria bom se pudesse trabalhar em uma área relevante. Isso mantém sua mente na atividade, permite que você crie conexões com pessoas afins e aprenda mais sobre o negócio de filmes e televisão. Pegue Caitlin Schneiderhan, por exemplo. Ela é uma roteirista com muitas distinções, incluindo a nomeação como um dos 25 principais roteiristas da revista MovieMaker. Seus roteiros participaram de concursos como o AMC One Hour do Festival de Cinema de Austin, Concurso de Roteiros ...
Is It Hard to be a Screenwriter? Writer Robert Jury Answers

É difícil ser roteirista? O escritor Robert Jury responde

O roteirista, produtor e diretor Robert Jury conquistou seu espaço em Hollywood através de trabalho duro e determinação. Ele fez o esquema de Los Angeles, e também tem obtido sucesso como escritor em sua atual casa em Iowa City, Iowa. Ao longo de algumas décadas, Jury aprendeu que não há substituto para a perseverança e a paixão. Jury começou sua carreira como leitor de roteiros, fez estágio na Warner Bros. Pictures e trabalhou na Touchstone Pictures Company. “Antigamente, eu levava para casa uma dúzia ou mais de roteiros fisicamente, e comecei a observar ...
Screenwriters, Novelist, Game Writers: Michael Stackpole Tells You How to Find an Agent

Roteiristas, romancistas, escritores de jogos: Michael Stackpole conta como arrumar um agente

“Encontrar um agente é uma daquelas perguntas que muitas pessoas fazem. Todo mundo quer um”, explicou Michael Stackpole durante uma entrevista conosco na Conferência de Escritores da Costa Central. Escritor, designer de jogos, podcaster e palestrante frequente de conferências, Stackpole tinha uma resposta pronta. Depois de concluir algo, distribua-o para alguns amigos. Faça com que eles escrevam dois ou três autores que acham parecidos com seu estilo. Pesquise esses autores. Descubra quem são os agentes deles. Talvez, encontre-os em alguma conferência. Fale com eles e veja ...